in

Melhor x Necessário

Você já ouviu alguém (ou você mesmo) que está diante de um novo desafio ou tarefa dizer a frase “farei o meu melhor” ou “farei o melhor possível”?

Esse tipo de jargão é amplamente utilizado, especialmente por pessoas/profissionais que querem transmitir ao outro o quanto estão comprometidas e empenhadas com a tarefa a ser realizada, indicando nas entrelinhas que “não se preocupe, eu farei além do solicitado”.

Conceito de “Melhor”:

  • O que é considerado superior a tudo
  • Algo de superior qualidade

Entretanto, muitas vezes o que acaba acontecendo é que essa mesma pessoa, ao final do prazo estipulado, retorna com uma frase parecida mas de significado muito diferente – “mas eu fiz o meu melhor” – na tentativa de justificar o atraso ou não realização do que se comprometeu a fazer.

Expressões como “o MEU melhor” ou “melhor possível” não são possíveis de mensurar , visto que tratam de conceitos pessoais e relativos, sendo apenas uma intenção em fazer algo bem feito e, como visto na situação acima, podem ou não atender as expectativas, visto que o melhor de uma pessoa não significa ser o melhor de outra pessoa, uma vez que todos temos limitações que poderão nos impedirão de entregar aquilo que é esperado, e caso isso aconteça, gerará problemas para nós e para àqueles que contavam conosco. Ousaria dizer que o termo “MEU melhor” e “melhor possível” não existem, pois “melhor” pressupõe comparação de qualidade/superioridade, e como visto no exemplo, essa intenção, essa vontade de fazer, é subjetiva e nem sempre poderá ser cumprida, tornando a expressão vazia e sem propósito, diferentemente de quando aplicada a algo específico, como por exemplo um bolo, em que pode se dizer – “farei o melhor bolo de chocolate que você já experimentou”, que poderá ser comparado com outros.


Fazer “o melhor possível” ou “o meu melhor” pode transmitir um significado vazio e sem propósito

Voltando ao exemplo, o que aconteceu com o “melhor” da primeira frase? O que mudou nesse caminho para que se chegasse ao “melhor” da segunda frase? Veja algumas possibilidades:

  • Foi dito para gerar efeito, causar uma boa impressão;
  • Não houve comprometimento suficiente para cumprir o prometido;
  • A tarefa não era possível de ser realizada no tempo previsto;
  • A pessoa não possuía as habilidades necessárias para realizar a tarefa;
  • Tentativa de fazer algo superior, grandioso, pomposo ou mesmo diferente, acabando por ser inalcançável no prazo previsto.

Agora, quando analisamos o termo necessário, percebemos uma diferença substancial quanto ao seu propósito, vejamos seu significado:

  • Que é relevante, vantajoso, útil e oportuno;
  • Diz-se de algo que deve ser realizado;
  • Àquilo que não se pode deixar de efetuar, que é imperioso, indispensável.

O termo “Necessário” remete a algo mais prático, direto, mensurável e sem floreios, soando até de forma mais profissional para quem o ouve, como que dizendo – “farei o necessário e trarei o que é esperado” – sem promessas de grandeza ou de algo diferenciado, mas sim demonstrando clareza quanto as etapas do processo e o que precisará ser feito para sua conclusão. Essa clareza e objetividade passará confiança e credibilidade àquele que o está demandando.

Atender estritamente ao que é esperado pode parecer insuficiente num mundo que exige superação de expectativas, mas em alguns momentos podemos dizer que “fazer o necessário” torna-se melhor que o “fazer o melhor”, com perdão do trocadilho. É muito melhor você fazer o que o cliente (interno ou externo) deseja, no prazo que ele espera, do que fazer, ou tentar fazer algo superior, mas entregar com atraso, ou mesmo não entregar. Podemos dizer que em certos momentos ou situações, “encantar” o cliente significa fazer o esperado no prazo esperado.


Encantar o cliente pode significar simplesmente fazer o esperado no prazo esperado.

Não trata-se de focar no básico e não buscar algo superior e diferenciado, pois existem atividades que talvez não possamos aplicar esse conceito, contudo essa avaliação entre o “melhor” e o “necessário” poderá leva-lo a uma eficiência maior no dia a dia, sendo uma decisão que só você poderá fazer, caso a caso. Algumas pessoas, ao serem desafiadas com alguma atividade/projeto em seus trabalhos, tentam fazer algo tão bom, mas tão bom, buscando uma perfeição tal, que acabam colocando um peso enorme sobre si mesmas na busca do melhor, mas que se apenas tivessem feito o necessário, teriam satisfeito as expectativas solicitadas com menor esforço, custo e sofrimento.

O fato é que precisamos ter cuidado em prometer grandes coisas, ainda que com a boa intenção de surpreender o outro, e evitar o erro de utilizar o termo “melhor” como um escudo de defesa para justificar algo que não foi feito, ou feito de maneira incompleta ou com atrasos. Pois muito mais do que um jogo de palavras entre “melhor” e “necessário”, trata-se de mudança de postura, alterando não somente o resultado de um trabalho específico, mas a imagem do profissional que as utiliza.

What do you think?

0 points
Upvote Downvote

Total votes: 0

Upvotes: 0

Upvotes percentage: 0.000000%

Downvotes: 0

Downvotes percentage: 0.000000%

Written by Eduardo Swiech

Um latino americano dos idos de 1981. Apenas mais um curitibano, um 'CDF' de outrora, que gosta de games, filmes e seriados 'bem jóia'.

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

Formando o senso de missão

4 dicas para gerenciar seu e-mail