in

O Caminho

Impossível assistir “O Senhor dos Anéis” e não ficar sonhando com todas as montanhas que a história nos apresenta – Montanha da Perdição, Montanhas da Névoa, Montanhas Sombrias – tem montanha que não acaba mais. Tenho um carinho muito grande com essas formações geológicas e acredito que isso se deve ao clássico infantil de minha geração, A Montanha Encantada de Maria José Dupré.

Que livro fantástico, populou e popula minha imaginação até os dias de hoje. Sempre que imagino uma montanha já associo automaticamente o caminho que nos leva até ela, a jornada de subir uma montanha. Já me arrisquei várias vezes e tenho um prazer absurdo em poder subir, todos os preparativos envolvidos,  levantar cedo, se vestir adequadamente, pra mim é sempre uma grande aventura.

Quando penso em jornada é impossível não pensar em minha vida, uma forma bem prática de vê-la é a ver como um jornada, algo longo, repleta de preparativos, várias estações, paradas, vitórias, conquistas e derrotas. A vida é um caminho, uma jornada. E isso deixa bem claro, pelo menos pra mim, que uma vida verdadeiramente vivida é uma vida associada a uma missão, a um propósito.

Certa vez li uma história sobre a Segunda Guerra Mundial que se um soldado não identificado aparecesse repentinamente no meio da noite e não declarasse sua missão, ele seria automaticamente alvejado sem nenhum tipo de aviso prévio. Fico imaginando se esse tipo de prática fosse adotada atualmente, se fossemos confrontados com uma pergunta de “vida ou morte” a respeito de nossas missões, qual seria a resposta.

Consigo ver facilmente gerações que caminham na Terra como zumbis, sem direção, sem propósito, sem missão, jornadas vazias. Temos diversas pesquisas apontando o grande impacto negativo na sociedade, economia e política devido a falta de missão e sentido na vida.

Em contrapartida ainda hoje somos impactados pela vida de um homem que tinha seu senso de missão bem claro, se olharmos para trás vemos que Jesus, um dos mais poderosos e influentes líderes de toda a história tinha sua missão muito bem definida:

 

Eu vim para que tenham vida, e a tenham com abundância.

 

Todas as ações que ele tomou – tornou água em vinho, brincou com as crianças, ensinou nas montanhas ou desafiou o sistema religioso corrente – foram resultados de sua missão.  Essa clareza de missão o ajudou em como agir, o que fazer e o guiou nas situações difíceis que ele encontrou.

Isso mostra o quão vital é a busca de nossa missão, nosso propósito e reforça que devemos nos engajar e nos encher com ela. Propósito é fundamental para a raça humana, é o que nos torna humanos. Nossa missão é fruto do nosso propósito, e nossa jornada será totalmente impactada.

E nos próximos artigos da série O Caminho baseados na obra de Laurie Beth Jones, me atreverei a auxiliar você a encontrar sua missão.

 

E os teus ouvidos ouvirão a palavra que está por detrás de ti, dizendo: Este é o caminho; andai nele…Isaías 30:21

What do you think?

0 points
Upvote Downvote

Total votes: 0

Upvotes: 0

Upvotes percentage: 0.000000%

Downvotes: 0

Downvotes percentage: 0.000000%

Diego Mendes

Written by Diego Mendes

Um pensador, curador de conteúdo, desenvolvedor de sistemas de 36 anos que ama camelos e que tem buscado fazer a melhor jornada nessa vida. Sim, curador de conteúdo, parte do que escrevo são traduções de grandes artigos escritos em inglês ou espanhol.

Comments

One Ping

  1. Pingback:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

Ah… O final do Ano!!