in

A Trilogia Cósmica de Lewis

Quando pensamos de C. S. Lewis, a primeira coisa que naturalmente vem à cabeça é o livro das Crônicas de Nárnia.

A fantasia de As Crônicas de Nárnia encanta tanto crianças quanto adultos. A forma como Lewis conseguiu abordar temas como religião, contos de fadas e mitologia é envolvente e encantadora. Sem dúvidas, Nárnia é o maior sucesso do escritor, com milhões de cópias vendidas ao redor do mundo e ainda com três das sete histórias adaptadas recentemente para o cinema.

No entanto, sua carreira como escritor não se limita a essa obra. Além de Nárnia, Lewis também é conhecido por seus livros relacionados à religião, como Cristianismo Puro e Simples, Cartas de um Diabo a seu Aprendiz, Os Quatro Amores e A Abolição do Homem. Com sua mente excepcionalmente lógica e brilhante, ele aborda esse assunto de um jeito único, demonstrando uma habilidade particular de traduzir temas que normalmente geram discussões exaltadas e controversas em textos de fácil compreensão e enorme profundidade.

E assim como o seu grande amigo Tolkien, criador da fantástica Trilogia do Anel, Lewis também escreveu uma trilogia. Aliás, ele escreveu antes mesmo de O Senhor dos Anéis e As Crônicas de Nárnia fossem lançados. É a quase desconhecida, mas excelente Trilogia Cósmica.

Essa trilogia é composta por Além do Planeta Silencioso, Perelandra e Uma Força Medonha, e é protagonizada pelo filólogo Elwin Ransom, que certamente é o personagem mais bem desenvolvido pelo escritor. Sim, mais do que Aslam ou qualquer um dos quatro irmãos protagonistas de Nárnia.  No Brasil só tivemos acesso a esses livros a partir de 2010, trazidos pela editora Martins Fontes. Ela havia sido publicada anteriormente aqui, porém com tradução em português de Portugal.

Lewis foi, por um longo período da sua vida, um grande amigo de J. R. R. Tolkien, e Ransom é uma clara homenagem de Lewis para o criador da Saga do Anel.

Assim como em Nárnia, Lewis criou uma história original com um universo peculiar, repleto de personagens cativantes que desafiam nossa imaginação e compreensão, e lugares de formas e cores fantásticas. As histórias exploram ficção, teologia e filosofia, tudo isso de uma forma muito detalhada, minuciosa e inesperada.

Em Além do Planeta Silencioso, Ransom é raptado e levado para Malacandra, nome que Lewis atribuiu ao planeta Marte. Logo que ele chega ao planeta, Ransom se separa de seus captores e começa uma aventura pelo novo universo. Lewis gasta páginas e mais páginas descrevendo de forma sublime tudo o que Ransom faz, pensa e sente, um prato cheio para quem gosta de narrativas cheias de detalhes.

Da mesma forma que Além…, Perelandra – que seria Vênus – o autor nos dá detalhes que fazem com que o leitor facilmente se identifique com o dilema de Ransom. No novo planeta, ele se depara com um personagem que nunca conheceu nenhum tipo de corrupção ou pecado. Dilemas éticos e morais são discutidos ao longo de toda a história, e fazem com que o leitor reflita constantemente no problema de interagir com alguém que não conhece certo ou errado.

Por fim, Uma Força Medonha tem como cenário o Planeta Terra, ou Thulcandra. O livro, ao contrário dos dois primeiros, que podem ser lidos de forma independente, necessita do contexto das duas primeiras obras para ser compreendido.

A história se passa na Inglaterra e conta com um casal que passa por uma crise no casamento como protagonistas da história. Enquanto ele vivencia as surpresas de uma nova situação profissional totalmente obscura, ela, em meio a seus conflitos pessoais, acaba em uma casa onde os moradores vivem uma realidade completamente diferente da sua. Nesse contexto, seus princípios são questionados, e mais uma vez Lewis arrasa trazendo a tona questões morais e filosóficas, explorando os limites da perversidade, maldade e ganância do homem e também questionando a posição do homem frente ao mundo espiritual. É simplesmente espetacular.

Ainda que no começo Uma Força Medonha pareça estranho por começar explorando contextos muito diferentes dos outros dois livros, ao poucos tudo vai se encaixando. A impressão é que Lewis conduz você a pensar no desfecho óbvio para cada situação. Porém, além daquilo que fica escancarado, o escritor sempre te entrega algo a mais e essa é a graça do último livro.

Aliás, Lewis é especialista em fazer isso. Ele sabe explorar temas simples de uma forma que explode a cabeça do leitor, criando uma espécie de fascínio pelo que está acontecendo e um desejo por saber o que virá a seguir. Não estranhe se você se pegar lendo com os olhos arregalados e com a mão na frente da boca, pensando “como assim!!??”

A Trilogia Cósmica pode ser uma grata surpresa para quem gosta de aventura, temas filosóficos, religiosos, morais, personagens marcantes e principalmente, uma história muito bem contada. Vale a pena cada minuto investido na leitura! Certamente é um clássico do autor. Divirta-se!

What do you think?

0 points
Upvote Downvote

Total votes: 0

Upvotes: 0

Upvotes percentage: 0.000000%

Downvotes: 0

Downvotes percentage: 0.000000%

Written by Chico Milk

Chico Milk nasceu em Guarapuava City Paradise. Um dos quatro seres viventes. Guitarrista low profile, amante de dias frios, chuvosos e cinzentos, bebedor nato de café com leite, leitor de livros e quadrinhos.

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Loading…

Já ouviu falar de Aarhus? – Parte 1

Batman – Gotham City 1889