in , ,

Cute Love

A vida e as estações

Uma reflexão sobre a influência das quatro estações e a vida no Canadá

Sem dúvida nenhuma, o que mais me impactou e me ensinou nestes quase três anos de vida no Canadá, é a identidade das estações! E não somente a identidade distinta mas tudo o que elas significam, trazem consigo, ensinam e alteram.

Nasci e fui criada em Curitiba, uma cidade famosa no Brasil por seu clima frio e, embora tenhamos um inverno realmente mais intenso que em todas as outras capitais, eu nunca vi uma diferença muito grande e definida entre as quatro estações do ano. É quase como se existisse o frio a chuva (muito chuva!) e o calor.

Acho que não preciso tentar convencê-lo(a) de que aqui no Canadá as estações do ano são completamente distintas uma das outras, certo?! As fotos do Outono Canadense são famosas, o inverno, bem este dispensa comentários por enquanto, o verão é realmente muito quente e a primavera é onde o verde volta!

É incrível como as quatro estações do ano influenciam a sua vida aqui! Eu não tenho dúvidas de que quem também mora aqui no Canadá ou em países com climas similares, concorde comigo. Fica bem mais fácil criar paralelos das características das estações do ano com as estações da nossa vida. Lhe convido então a explorar comigo cada uma delas e o que elas representam.

 

Outono – A estação da transição

Depois de passar pelos meses quentes do verão, a chegada do Outono é verdadeiramente esplêndida! A mudança de cores acontece de forma coordenada e ao mesmo tempo difusa e todos os tons contidos entre a transição do verde para o vermelho são exibidos em quase todas as árvores e arbustos com muita beleza. Sim, é lindo! É a estação preferida de alguns justamente pela beleza que ele exibe.

Típica cenário de Outono em Ottawa, um espetáculo de cores!

Mas o Outono é também curto, a mudança de cores da folhagem em si dura apenas de duas a no máximo quatro semanas, e daí vem o vento, as chuvas de Novembro e mais vento. O vento leva embora consigo todas as folhas coloridas, ele deixa as árvores peladas, cinzentas e com aspecto de indefesas. A impressão é que os ventos do Outono levam consigo a própria vida.

Todos os animais pequenos que vemos pela cidade de Abril a Outubro, começam a desaparecer, os esquilos, coelhos, marmotas vão todos se entocando. Os muitos bandos de gansos canadenses aos poucos começam a levantar voo e ir para o sul. E assim toda esta vida vai sumindo, tudo vai silenciando, o inverno vem chegando.

O Outono tem um ar de beleza dramática. De espetáculo e também de preparo. Ele chega esplêndido e vai embora triste.

Em Novembro aqui em Ottawa temos a mudança para o horário de inverno e os dias ficam curtos, muito curtos! A escuridão chega marcando presença e é fácil já começar a sentir mais tristeza, principalmente no fim de Novembro quando já anoitece por volta das 4:30 da tarde.

Épocas de transição para mim significam, preparo. Quando sabemos que algo está por vir ou mudar em nossas vidas, nós sentimos esta necessidade de preparo. Mas por outro lado muitas vezes os invernos chegam de repente e não há muito o que podemos fazer com relação a nos preparar. O Outono as vezes deixa justamente está impressão quando ele vai embora precocemente, a impressão de que já acabou e você ainda não está preparado(a) para os longos meses de frio. Aquela beleza que te avisou de algo que está por vir vai repentinamente embora e você precisa encarar a nova realidade que o clima lhe trouxe.

 

Inverno – A estação da introspecção

Quando a primeira neve cai aqui em Ottawa no início de Novembro ou até mesmo no final de Outubro, um sentimento de respeito, seguido de um longo suspiro toma seu lugar. Não há o que fazer, meses de frio, escuridão e neve estão chegando. Existe um forte sentimento de melancolia e introspecção que vem junto com o inverno.

Preciso confessar algo, quando eu ainda morava no Brasil e via os brasileiro aqui reclamando da neve e do inverno eu pensava… “Hummm me parece coisa de gente metida a estrangeiro, a neve é linda demais para nós brasileiros! Como podem reclamar?!” Pronto, confessei! Seja sincero, você também já pensou isso? Ainda pensa?

Então me mudei pra cá, e tudo fez sentido! Sim, a neve enche o saco, a escuridão é depressiva e o frio pode ser sim muito sofrido. Quando tem um vento de -40°C soprando na sua cara e você sabe que a pele do seu rosto está em perigo de congelar e sofrer frostbite em minutos, mas mesmo assim você precisa seguir normalmente com o seu dia, acredite, o inverno daí não é NADA bonito. Aqui em Ottawa faz frio de Novembro a Abril, seis longos meses! Deixa eu repetir, são seis longos meses! Com temperaturas variando de 10 a -35°C no termômetro, o vento faz a sensação térmica muitas vezes ser bem menor do que a temperatura que o termômetro marca e no inverno ele, o vento, se torna seu arqui-inimigo. Pronto, já reclamei assim como os outros brasileiros “metidos a estrangeiros”, agora posso continuar.

Como no inverno as atividades ao ar livre ficam mais limitadas, com exceção é claro dos esportes de inverno, é evidente que um comportamento de “entocamento” tome seu lugar. Assim como os animais, parece que somos tomados também por esta vontade de ficar dentro da toca. Mas a vida continua normalmente!

Um fato que confirmei agora vivendo aqui meu terceiro inverno, é que as pessoas tendem a trabalhar muito mais nos meses de frio. A produtividade acelera e muitas vezes é preciso tomar cuidado para sua vida por meses não ser voltada somente ao trabalho todos os 7 dias da semana.

Como existem invernos em nossas vidas! Eles sempre chegam em algum momento, não é mesmo? Estações onde as cores parecem ter ido embora, onde simplesmente prosseguir é difícil, onde a vida parece não habitar mais em nosso meio. Eu acho que assim como as outras estações, o inverno com toda a sua melancolia, tem o seu papel! Tentar fingir que ele não está em nosso meio, com certeza não é o caminho, é preciso dar crédito a sua presença.

Eu, meu cachorro e um dia típico de inverno onde tons de cinza, branco e preto tomam conta.

São muitas vezes em fases como estas que temos os melhores insights e inspirações e eu pessoalmente acredito é quando podemos experimentar com mais intensidade a certeza de que existe esperança! São nas verdadeiras tempestades que experimentamos os mais marcantes momentos de abrigo! Se tem uma coisa que o inverno tem é, presença! Precisamos o respeitar. Mas ele é temporário.

 

Primavera – A estação do recomeço

Ah a primavera! Já sinto uma veia mais poética querendo saltar em mim só de pensar nesta estação. Acredite, depois de quase 5 meses de: paisagens brancas, dias cinzentos, roupas pesadas, muito trabalho, escuridão e introspecção… a primavera na minha opinião é sem dúvida nenhuma, a estação mais aguardada de todas.

Quando os primeiros passarinhos saem das suas tocas e começam a cantar, é aí que considero que a primavera chegou, junto com a sua identidade de recomeço! Uma das coisas mais lindas de presenciar na primavera é a volta dos gansos canadenses para os rios aqui da cidade, eles são espertos, eles fogem de tudo aquilo que vivemos no inverno por 5 meses e voltam trazendo consigo uma vontade imensa de viver e de habitar. As folhas chegando com seus pequenos brotinhos verdes nas árvores e as flores colorindo a paisagem imprimem uma beleza que só a primavera possui.

Na primavera todas as cores que deixaram a cidade voltam para repintar o cenário.

O que seria da nossa vida sem os recomeços? Eu não consigo imaginar uma vida onde o inverno não tem fim. A promessa da primavera e a esperança das cores e dos suspiros de vida voltarem, são nossa esperança nos invernos. O degelo que acontece nos rios e nas calçadas quando a neve vai derretendo, vai levando embora toda a estagnação do inverno, não tem como não ser contagiado pelo tom de recomeço que a primavera traz!

 

Verão – A estação da alegria

Embora o Canadá seja sinônimo de muito frio para o resto do mundo, o verão aqui também pode ser intenso. Lembro-me de um dia que fez 33°C no termômetro e a sensação térmica era de quase 40°C por causa da umidade! Sim, o verão é quente! Ele com certeza não dura tanto tempo quanto nos países tropicais, mas acredite, pelo menos ele é tão real aqui em Ottawa quanto em Curitiba.

Vivendo as quatro estações, eu que nunca fui muito fã do calor, aprendi a dar totalmente outro valor para o verão. O verão é vibrante, é intenso, colorido, tem movimento!

Os passatempos favoritos dos canadenses (e meu também) geralmente envolvem atividades ao ar livre em qualquer que seja a estação. Mas no verão várias opções se reabrem como: acampar, esportes aquáticos, fazer trilhas, ir em festivais ao ar livre e muitas outras. Você vai encontrar pouquíssimas pessoas em shoppings nos finais de semana de verão, mas vá para um dos parques nacionais próximos as principais cidades e boa sorte para achar uma vaga no estacionamento! O verão em Ottawa pode com maestria lhe proporcionar diversão, dias longos, sextas feiras mais curtas no trabalho, muito sol e sintetização de vitamina D. Como não se envolver e admirar toda esta vibração? Os animais estão por todos os lados e o inverno, bem o inverno é apenas uma memoria distante de algum lugar longínquo.

Andar de caiaque no rio Gatineau, com certeza um dos pontos altos do verão pra mim!

O movimento e a alegria que o verão traz não seria possível sem preparo, trabalho e recomeço. Sim, o clichê é real, as outras estações dão ao verão um valor muito maior! Precisamos deixar-nos contagiar com esta alegria e energia, nossa vida não pode ser somente feita de trabalho e preparo. O fato é que na nossa vida adulta nós precisamos ter um sábio controle sobre isso. Nem só de verões nos vivemos, mas com certeza também não só de invernos!

 

As estações da nossa vida

Eu acho fascinante esta sintonia que os canadenses (pelo menos boa parte deles) tem com o clima! Ele realmente dita boa parte da programação de um ano que se inicia. As alterações climáticas e esta distinção entre as quatro estações que existem aqui realmente nos fazem mais alertas ao nosso ambiente. Eu sempre me considerei uma pessoa que gosta de estar em sintonia com o meio ambiente, mas com certeza posso dizer que vivendo aqui, isso tomou uma proporção muito maior! É interessante como isso lhe faz tomar uma consciência maior até mesmo do tempo das coisas.

Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu. Há tempo de nascer, e tempo de morrer; tempo de plantar, e tempo de arrancar o que se plantou; Tempo de matar, e tempo de curar; Tempo de derrubar, e tempo de edificar; Tempo de chorar, e tempo de rir; tempo de prantear, e tempo de dançar; …. Que proveito tem o trabalhador naquilo em que trabalha? Tenho visto o trabalho que Deus deu aos filhos dos homens, para com ele os exercitar. Tudo fez formoso em seu tempo; também pôs o mundo no coração do homem, sem que este possa descobrir a obra que Deus fez desde o princípio até ao fim.” Ec 3:1-4, 9-11

As identidades específicas de cada uma das estações aqui no Canadá, foram mais um novo capítulo adicionado nesta eterna lição de vida, a lição de como realmente há tempo para tudo!

What do you think?

4 points
Upvote Downvote

Total votes: 4

Upvotes: 4

Upvotes percentage: 100.000000%

Downvotes: 0

Downvotes percentage: 0.000000%

Written by Hellen Weinschutz Mendes

Nascida na boa safra de 1982 em Curitiba e residindo atualmente em Ottawa no Canadá. Bióloga, sempre curiosa, doutoranda, esposa, amante da natureza, apaixonada por viagens e dona de uma cachorrinha de orelhas macias.

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Loading…

Escritório

Psicoterapia não é coisa para gente louca